Quel

Archive for the ‘Subliminares’ Category

Mensagem Subliminar IV: Hércules

with 5 comments

Para começar, precisamos contextualizar o filme Hércules (1997), pois os caça-subliminares parecem não se dar o trabalho de separar o mundo-real-atual do mundo-mitológico-grego-antigo:

O desenho conta a história do personagem mitológico Hércules (também conhecido por Héracles, Alcídes e por muitos epítetos), herói famoso em toda a literatura antiga (cf. Hesíodo, Apolodoro, Virgílio, Propércio, Ovídio, Higino, Sêneca, entre muitos outros autores). O filme da Disney traz uma versão do mito de Hércules levemente baseada nos dados mais recorrentes entre as várias versões existentes e, claro, com inovações para cativar o público infantil.

A história se passa no mundo mitológico da Grécia antiga, ou seja, está muito distante da nossa realidade: mesmo entre os gregos antigos, segundo relatos, não era possível afirmar se Hércules existiu ou se era somente uma história inventada que foi contada ao longo de gerações; e, se ele existiu, o mais provável é que ele não era um herói semi-humano com força sobrenatural. Assim, a história de Hércules não evoca um civilização demoníaca que lida com forças malignas, mas um povo antigo cujas crenças devem ser respeitadas.

Para minha crítica, dentre os muitos sites que apontam subliminares em Hércules, utilizei principalmente esteeste e este vídeo (de um pastor).

Enfim, o primeiro ponto que sempre criticam em relação à história é a presença de Hades, que muitos afirmam ser “inferno” em grego. Mas eu explico: Hades vem do grego Άΐδης, que significa “aquele que não pode ser visto”; era, de acordo com a mitologia, o deus do Mundo dos Mortos, também chamado de Inferno (mas que não deve ser identificado com o Inferno dos cristãos, pois há uma distância cultural gigantesca entre essas duas definições). É evidente que mais tarde a palavra Hades foi utilizada para designar o inferno do mundo cristão, como pode ser verificado em algumas passagens bíblicas, mas foram homens cristãos que fizeram essa identificação muito depois do surgimento de Hades na religião grega.

É importante destacar que Hades não era necessariamente mau, assim como todos os outros deuses, ele desfavorecia ou favorecia alguns mortais de acordo com sua vontade. Mas na história da Disney ele é o vilão, ou seja, ele é como o Capitão Gancho ou a bruxa malvada da Branca de Neve: não é o demônio em pessoa se manifestando pra destruir criancinhas diante da TV.

A figura de Phil, treinador do herói, também é apontada como referência ao demônio em forma de bode. Bom, Filoctetes na mitologia grega possuía a forma humana e não desempenhava o papel que ele tem na animação; mas muitas são as figuras metade bode e metade homem na mitologia, como os sátiros e o deus Pan. Há quem diga que Phil é uma referência ao paganismo, então eu digo: o filme todo é uma grande referência ao paganismo, pois a religião grega antiga, não sendo cristã, pode ser considerada pagã.

Há uma cena do desenho muito comentada nos sites de subliminares: nessa cena, o fogo da cabeça de Hades forma a palavra Jesus (bem no momento em que ele diz “e o único idiota que pode estragar tudo está perambulando por aí”) e depois esse mesmo fogo forma uma cruz.

Ok. Vamos analisar a imagem da “óbvia” referência a Jesus que não dura nem meio segundo:

Eis o que os “especialistas” em subliminares veem:


Como quem procura acha, olha o que eu encontrei nessa mesma cena:

1. J suis, do francês, Je suis (“eu sou”); dessa forma, acredito que a disney estava conduzindo as crianças, principalmente as francesas, a um momento de catarse, para que pudessem refletir sobre sua trajetória pessoal.

2. S.O.S.: uma clara referência à necessidade de se pedir ajuda em caso de incêndio, alerta reforçado pelo fogo que emana do corpo de Hades.

3. II aviãozinho Y N: como sabemos, YN é New York ao contrário. A referência ao ataque  às torres gêmeas do WTC é evidente no desenho do primeiro prédio prestes a ser atingido pelo avião terrorista, e o fogo de Hades ajuda a compor a cena trágica que chocou o mundo no dia 11 de setembro de 2001. Essa previsão é ainda reforçada pelo fato de Hércules (1997) ter estreado na Nova Zelândia no dia 11 de setembro (ver IMDB).

Em relação ao símbolo da cruz, preciso mesmo explicar? Se a personagem tem na cabeça uma chama que é atiçada de acordo com seu humor, numa explosão de raiva é aceitável que ela tome conta de todo o seu corpo; e, se ele abre os braços nesse estado de ira, o que temos? Uma cruz.

Ora, qualquer pessoa em pé que abrir os braços com as pernas fechadas irá formar uma cruz (será coincidência? o.O). Há quem veja no Cristo Redentor uma referência a sua crucificação, mas há quem veja nele um Jesus abraçando a humanidade, abençoando o Rio de Janeiro e distribuindo amor. Ou seja, nem todo braço aberto faz referência à cruz. E mais, a cruz, antes de ser o símbolo do cristianismo, era uma estrutura de madeira que mantinha os prisioneiros (cristãos ou não) de braços abertos para que tivessem uma morte lenta e dolorosa; e a forma em T era só um dos muitos modelos utilizados para a crucificação na antiguidade.

E agora eu pergunto, quem é “o único idiota que está perambulando por aí” a quem Hades se refere naquela cena?
a)     Hércules.
b)     Jesus.
c)     Quem inventa mensagens subliminares para assustar criancinhas.
d)     Eu, que me dou ao trabalho de tentar explicar o que mentes doentias veem em uma simples animação infantil.

Anúncios

Written by Quel

setembro 4, 2010 at 7:49 pm

Mensagem Subliminar III: A Pequena Sereia

with 8 comments

pequena sereia capaJá critiquei as supostas mensagens subliminares dos livros do Harry Potter e do filme da Cinderela; e mais uma vez venho compartilhar as bizarras notícias de subliminares, desta vez, no filme A Pequena Sereia (1989):

A primeira mensagem subliminar apontada em tudo quanto é site sobre o assunto é a suposta imagem de um pênis que aparece no palácio de Tritão. Antes de julgarmos se a figura é capaz de incitar o desejo sexual em alguém, é preciso nos perguntar se no nosso dia-a-dia não nos deparamos com outras imagens semelhantemente penisesfálicas. Não foi preciso buscar muito no Google para encontrar imagens assim em legumes e árvores. Então será que podemos mesmo julgar que o desenhista do palácio quis que uma coluna nos remetesse a um órgão sexual?

Aproveito para lembrar que, na Roma Antiga, crianças costumavam pendurar no pescoço pingentes em forma de pênis: era uma forma de atrair boa sorte e reverenciar o deus Priapo. Também as figas, cujo uso ainda perdura, são referências ao deus fálico, portador de um avantajado membro. Será que os mesmos puritanos que condenam o filme da Disney não possuem em casa uma “inocente” figa, símbolo da pepriaponetração sexual? E que medo é esse de imagens que nos remetem ao sexo? Elas não nos tornam mais devassos. A malícia está na cabeça das pessoas. Na Roma antiga, os jardins eram decorados com imensas estátuas de pênis e as pessoas ostentavam na sala de suas casas imagens de um Priapo nu. Tudo muito normal. Ninguém se ofendia. E então veio a Igreja proibir, condenar, reprimir.

Na capa também surgem comentários a respeito da posição do príncipe ao lado de Ariel. Uma pergunta que algum caça-sublimar propôs e que foi repetida em todos os sites do gênero é: onde está a mão dele? Oras! Qualquer pessoa com bom senso, levando em conta as proporções anatômicas humanas, perceberá que a mão dele não está em nenhuma posição suspeita. De qualquer forma, a Disney, provavelmente para evitar maiores comentários, desenhou a mão dele em cima da pedra na capa para a nova versão do filme.

padre eretoMas não é só no palácio de Tritão que os puritanos fazem questão de ver um pênis. Dizem que o padre que celebra o malfadado casamento está excitado: quanta imaginação! Pois se aquela dobrinha na roupa do padre é um sinal de excitação, o membro dele é um tanto desproporcional em relação ao resto do corpo. E a dobrinha surge logo após um movimento que ele faz com os braços, sugerindo um simples movimento da batina e não uma ereção (veja aqui). De qualquer forma, na versão em DVD, a dobrinha na roupa do padre não aparece mais, e só sabemos que ela estava lá por conta dos mil sites que exibem a imagem da versão antiga do desenho.

sereia nao sexyUma ONG criada para denunciar mensagens subliminares viu sensualidade demais no corpo de Ariel. É curioso observar que, embora o site se refira claramente à princesa da Disney, a imagem exibida é a de uma versão genérica para a história da pequena sereia. Mas o caso é que a princesa tem curvas, é magra: típico padrão de beleza difundido pela sociedade e que, sereia sexynão se pode esquecer, faz parte do imaginário popular em relação às sereias; mas não vejo nada de exageradamente sensual em sua imagem. Que o pessoal do site não veja as versões mais picantes para a princesa que andam aparecendo na internet!

Enfim, acredito que subliminares existem e que é interessante sua divulgação na internet; mas falta muito bom senso. Antes de se colocar fogo em todas as animações da Disney, acho importante prestar mais atenção e se perguntar sempre se, de fato, é no filme que a malícia está.

Written by Quel

setembro 16, 2009 at 1:08 am

Mensagem Subliminar II: Harry Potter

with 19 comments

harry demonHá pouco tempo escrevi sobre as supostas mensagens subliminares no filme da Cinderela. Agora decidi compartilhar as mais bizarras notícias de subliminares nos livros de Harry Potter.

Não entendo como as pessoas se esforçam tanto para encontrar “satã” em tudo quanto é lugar; e o mais irônico é que quem procura pelo demônio são justamente aqueles que dizem negá-lo e não desejarem nenhuma referência a ele. Enfim, a série de livros da britânica J. K. Rowling não escapa aos olhos mais que treinados dos caça-subliminares:

sub harryA Subliminar mais divulgada na internet é de um site oficial (o qual parece não existir mais). O mais incrível é que os críticos nunca chegam a uma conclusão de qual figura satânica é que conseguem visualizar no fundo amarelo do tal site: alguns dizem que é uma bruxa, outros que é um bode, outros ainda alegam que é o próprio demônio. Eu até consigo distinguir dois olhinhos, mas querer afirma que a figura foi proposital e que ela é capaz de aliciar criancinhas inocentes me parece um exagero. Mas se ver o Michael Jackson em uma bandeja de gordura é possível, por que não ver o demônio em um pedacinho da imagem de fundo de um site fora do ar? Aliás, já pensaram que se o site não existe mais, quem anda divulgando o demônio através daquela imagem são os mesmo que dizem ter aversão a ele? Ouvi dizer que  são os melhores propagantistas do cão.

E há ainda um hilário artigo resultado de uma suposta entrevista na qual a autora admite ter pacto com o demônio:

J.K. Rowling não foi absolutamente como eu esperava que fosse: foi agradável, engraçada e admitiu pronta e abertamente que é satanista. “É verdade”, ela disse, “…eu trabalho para o diabo, belzebu, satã, lúcifer…em todas as suas manifestações profanas. Devo todo o meu sucesso, glória e poder ao meu doce e maravilhoso lúcifer.”
Mastigando ruidosamente um sanduíche de pepino, Rowling explicou que sua devoção ao príncipe das trevas foi gerada quando ela ainda era uma mãe solteira, que recebi (sic) auxílio do governo. Rowling, ou como ela mesma doravante deseja ser reconhecida, Sra. Satã, contou como estava sentada em uma cafeteria num dia cinzento, imaginando o que faria com sua vida vazia e sem objetivo, quando um pensamento a impactou: “Vou me oferecer de corpo e alma ao mestre das trevas e em retorno, ele me dará saúde e um poder absurdo sobre os fracos e deploráveis do mundo. E ele o fez!”

cucumber_sandwich_2Esse artigo pode ser encontrado em diversos sites de mensagens subliminares e notícias religiosas (como esse, esse e esse), mas tenho para mim que ele foi feito para um site de humor. Que outra explicação há para alguém misturar Rowling, Satã e sanduíches de pepino???

Há também quem veja no unicórnio e na fênix, dois animais mitológicos que, diga-se de passagem, são muito anteriores à obra de Rowling, referências ao demônio. Como ninguém percebeu isso antes? E ainda há quem afirme que a série é uma espécie de bíblia que ensina as pessoas a fazerem feitiço ou , como diz esse site: “os livros da série são manuais de feitiçaria e bruxaria disfarçados de entretenimento”. Claro! Porque todo mundo sabe que se dissermos “alohomora” com muita fé, não há fechadura que resista.

erisedMas a mais engraçada eu guardei para o final: uma leitora desavisada ficou estarrecida com o fato de que, no primeiro livro da série, o espelho no qual Harry vê refletido seus maiores desejos chama-se OJESED: desejo ao contrário. E então decidiu espalhar a novidade no Yahoo! Respostas:

O nome do espelho é: “Ojesed” que por mais curioso que seja ao contrario “Ojesed é Desejo” você pode testar…

E então ela se pergunta como uma autora “americana” teria “sem querer” colocado tal nome no espelho. E eis que alguns desavisados também compartilham da surpresa da garota, dizendo o quanto é interessante e legal a “descoberta” da guria.

Realmente, o demônio tem sido muito eficaz ao adentrar dessa forma na vida de pessoas inocentes.

Written by Quel

julho 12, 2009 at 10:27 pm

Publicado em Curiosidades, Subliminares

Mensagem Subliminar: Cinderela

with 62 comments

É irritante ler a respeito de mensagens subliminares na internet, pois agora qualquer coisa é motivo para alguém sair divulgando que se trata de uma referência ao demônio, apologia ao suicídio, incentivo às crianças para matarem seulucifer-cara-de-mau1s pais, etc. E os filmes da Disney se tornaram o alvo preferido.

Quem digitar Lúcifer e Cinderela no Google ficará surpreso com a quantidade de sites que simplesmente repetem o que algum espertinho resolver falar a respeito da presença maligna de Lúcifer no desenho da Gata Borralheira (1950). É justamente a este texto tão divulgado na internet que pretendo responder:

Mensagens Subliminares em Cinderela:

– Um ratinho é descoberto no porão, e ainda não fala como os outros, amigos de Cinderela, porém quando colocam nele um chapeuzinho e um par de sapatinhos como de duendes, este imediatamente começa a falar.

ratinho

Eu vejo nas roupinhas mais uma humanização dos animais do que uma relação com duendes. Mas se alguém deseja ver duendes por toda parte, eu respeito.

– O nome do gato é lúcifer. Cinderela abre a porta do quarto, a luz entra e bate nos olhos do gato que acabara de acordar, e o chama: ” – Lúcifer, venha aqui”.

Uma invocação do demônio? Ora, mesmo que fosse, seria então preciso destacar que Lúcifer se recusa a ir de encontro à Cinderela e então ela ordena que ele faça a sua vontade. Sendo assim, a mensagem poderia ser a de que podemos nos impor sobre a vontade do Diabo e lhe dar ordens. Mas, sinceramente, eu acho isso tudo uma grande besteira. O nome do gato é Lúcifer, sim, e daí? Não entendo essa relação feita com o próprio Satã. (Quem quiser acompanhar a cena pode encontrá-la neste link do YouTube).

– Logo após esta cena, acontece um diálogo entre a Cinderela e o cachorro (Bruno) que acabara de ter um pesadelo com o gato (Lúcifer). Ela tenta convencê-lo que Lúcifer é bom, e diz: “…Lúcifer tem o seu lado bom…” Isto traz confusão na mente das crianças, pois quando os pais estiverem ensinando a respeito de Satanás, o filho que tem a cena gravada no seu inconsciente, diz a si mesmo: “Ora, mas ele tem o seu lado bom”

Esse comentário é particularmente hilário. Mesmo que o filme estivesse tentando levar as criancinhas a abandonarem suas crenças e se juntarem ao Sr. Walt Disney em uma seita satânica, faltou lembrar que Cinderela, ao tentar mostrar o lado bom de Lúcifer, não consegue enumerar nenhuma qualidade do bichano. Observe a fala de Cinderela (eu fiz a tradução do original, pois não consegui assistir à versão dublada do filme):

Cinderella: [to Bruno, the dog] Dreaming again. Chasing Lucifer? Catch him this time? That’s bad. (Sonhando novamente. Perseguindo Lúcifer? Você o pegou desta vez? Que feio!) [Lucifer snickers]

Cinderella: Suppose they heard you upstairs. You know the orders. So if you don’t want to lose a warm, nice bed, you’d better get rid of those dreams. Know how? Just learn to like cats. (Acho que lhe ouviram lá em cima. Você conhece as ordens. Então, se você não deseja perder uma cama boa e quentinha, é melhor você se livrar desses sonhos. Sabe como? É só aprender a gostar de gatos.)

[Bruno groans]

Cinderella: No, I mean it. Lucifer has his good points, too. For one thing, he… Well, sometimes he… Hmmm. There must be something good about him! [Bruno laughs at Lucifer] (Não, eu falo sério. Lúcifer também tem seu lado bom. Por exemplo, ele… bem, algumas vezes, ele… Hmmm. Tem que haver algo de bom nele!)

Se a Disney pretendia passar a mensagem de que o Diabo é uma criatura boa através do gato Lúcifer, não fez um bom trabalho. Como eu já disse, não acredito que a intenção fosse relacionar o gato com o símbolo cristão para O Mau, mas mesmo se fosse o caso, não vejo uma exaltação do demônio através das personagens do filme.

Em um site também encontrei o seguinte comentário sob o título “O império do mal” (sic) de alguém que assina como “Pastor Josué Urion”.

Já reparou bem no nome do gato desse desenho? “Lúcifer”! Carácules! Isso é a maior conjuração! É uma evocação da entidade Lúcifer, o demônio! Tem uma cena em que a Cinderela chama esse gato. Experimente fechar os olhos durante essa cena. Apenas ouça ela falar: “Lúcifer, venha cá.”. Você teria coragem de falar “Lúcifer, venha cá” em sua própria casa? (bom…com certeza não se estiver sozinho e for meia-noite) Como deixa um desenho animado fazer isso por você?

lucifer-dormindo

Vale destacar que Lúcifer, a princípio, não significa Demônio. É uma palavra latina que, literalmente, significa “o portador da luz”, “aquele que carrega a luz” (Luci-, de luz – em latim, Lux, lucis; e -fer, imperativo do verbo carregar – em latim, ferre ). Lúcifer era o nome dado à Vênus, à Estrela D’Alva, a estrela mais brilhante pela manhã. O que me parece evidente quando, no filme, a primeira vez que vemos o gato é com a luz da manhã batendo em seu rosto.

Acredita-se que a palavra só tenha ganhado o sentido de Demônio por conta de uma passagem bíblica. Observe Isaías (14:12), na Vulgata, tradução da bíblia para o latim:

Quomodo cecidisti de caelo, lucifer, fili aurorae? Deiectus es in terram, qui deiciebas gentes.” (Como caíste do céu, lúcifer, filho da aurora? Foste jogado por terra, tu que derrubavas os povos.)

Essa passagem faz parte de um discurso dirigido ao Rei da Babilônia, provavelmente o tirano Nabonide, prevendo sua queda no poder e a libertação do povo de Israel. Assim, a partir de uma comparação entre o Rei da babilônia e a Estrela D’Alva, passou a se associar o nome Lúcifer (tão inocente no início) com o de um anjo que supostamente teria caído do céu. Não é de se estranhar que nas traduções da bíblia evita-se chamar a estrela de Lúcifer: na minha versão francesa da bíblia lê-se “Astre brillant”; e na portuguesa, “Estrela brilhante” e então segue uma nota dizendo “Daí vem o nome Lúcifer, dado a Satã”.

lucifer-carinhoO fato de o gato ser malvado não ajuda muito minhas teorias… mas eu o vejo mais como um personagem caprichoso e encrenqueiro, como são os gatos no imaginário de muitas crianças; se prestarmos atenção na relação do gato com a Cinderela no início do filme, para mim fica claro que ele quer a atenção dela, o que não ganha. Observe a cena em que ele simula ter sido atacado pelo cachorro, o que faz com que Cinderela conduza Bruno para fora da casa; no momento em que o gato vai receber o leite, é evidente que ele queria um carinho da princesa, mas recebe a bebida secamente.

Ele não é a encarnação do demônio. É só um gato.

Written by Quel

abril 1, 2009 at 2:00 pm